O comissário português, Carlos Moedas, garantiu hoje que “não haverá nenhuma mudança” mesmo que a capitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) conte para o défice nacional, porque para Bruxelas conta o “longo prazo”.

No dia em que a Comissão Europeia recomendou a saída de Portugal do Procedimento de Défice Excessivo (PDE), o comissário europeu responsável pela Investigação, Ciência e Inovação afirmou, em Lisboa, que “mesmo que a [capitalização] conte [para o défice] não haverá nenhuma mudança”.

Em conferência de imprensa, tanto o vice-presidente da Comissão, Valdis Dombrovskis, como o comissário europeu para os assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, disseram que estão atentos ao tema Caixa Geral de Depósitos e ao eventuais efeitos da efeitos da recapitalização do banco público no défice mas Moscovici, refere que, para já é um "sim unanime" da Comissão à saída do PDE.