O Banco Central Europeu (BCE) subiu esta quinta-feira a previsão de crescimento para a zona euro para 5% em 2021, num contexto de recuperação económica após o impacto da pandemia, afirmou esta quinta-feira a presidente da instituição, Christine Lagarde.

Numa conferência de imprensa realizada depois da reunião do conselho do BCE, Lagarde também afirmou que a economia da zona euro deverá ultrapassar o nível de antes da pandemia até ao final deste ano e que taxa de inflação pode ultrapassar 2% este ano.

A presidente do BCE afirmou ainda que "o impacto da pandemia é menos duro", mas que a variante delta poderia atrasar a abertura total da economia.

Contudo, os peritos do BCE baixaram ligeiramente a previsão de crescimento para 2022 de 4,7% para 4,6% e deixaram inalteradas em 2,1% as expectativas para 2023.

Em relação à taxa de inflação, o BCE reviu as previsões de inflação para 2021, 2022 e 2023 na zona euro, vendo os preços subirem para 2,2% este ano, acima da meta a médio prazo da instituição sediada em Frankfurt, disse a presidente Christine Lagarde.

A inflação, que se esperava ser de 1,9% até agora, deverá atingir 1,7% em 2022 e 1,5% em 2023.

Mas o BCE ainda acredita que o atual aumento da inflação é "em grande parte temporário", acrescentou Lagarde na conferência de imprensa após a reunião do conselho do BCE.

/ NM