A Caixa Geral de Depósitos deve apresentar esta sexta-feira prejuízos recordes. O banco público terá registado prejuízo de quase dois mil milhões de euros no ano passado, segundo o jornal online Eco. Ainda assim, o valor é ligeiramente inferior ao previsto no plano de negócios deixado por António Domingues.

As perdas devem-se sobretudo ao crédito malparado, que a CGD se viu obrigada a dar como perdido.

No plano de capitalização que António Domingues acordou com Bruxelas, estimava-se que estas imparidades ultrapassassem os três mil milhões de euros, mas as coisas terão afinal corrido melhor do que se previa para o banco público.

As imparidades acabaram por ser inferiores. Isso, somado ao facto de a economia nacional ter tido um desempenho melhor do que o esperado na segunda metade de 2016, ajudou a caixa a registar menos prejuízos do que Domingues previa.

Os resultados serão apresentados por Paulo Macedo ao final da tarde desta sexta-feira, na sua primeira conferência de imprensa à frente do banco.

O encontro servirá também para fazer um balanço da recapitalização, que está em curso, e que ultrapassa os cinco mil milhões de euros.