A agência de ‘rating’ canadiana DBRS melhorou esta terça-feira o ‘rating’ dos depósitos da Caixa Geral de Depósitos (CGD), na sequência da melhoria da avaliação atribuída a Portugal em 04 de outubro.

A CGD informa que, em 08 de outubro de 2019, a DBRS Ratings subiu o ‘rating’ de longo prazo dos seus depósitos (Long-Term Deposit ‘ratings’) de 'BBB' para 'BBB (high)' [alto] e o de curto prazo (Short-Term Deposit ratings) de R-2 (high) [alto] para R-1 (low) [baixo]”, informa o banco em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Ambos os 'ratings' têm uma perspetiva estável, o que significa que não deverão ser alvo de novas alterações em breve.

A CGD explica que esta ação decorre da melhoria do ‘rating’ da República Portuguesa, em 04 de outubro, quando a DBRS subiu a nota atribuída a Portugal, de ‘BBB’ para ‘BBB alto’.

O banco público adianta que a melhoria também tem em conta a legislação publicada em março, que “atribui preferência a todos os depositantes em processos de insolvência e resolução de bancos e a menor probabilidade de os depósitos absorverem perdas”.

Na origem da melhoria do ‘rating’ de Portugal, a DBRS referiu que a situação orçamental “está amplamente em equilíbrio e o rácio da dívida pública em relação ao PIB [Produto Interno Bruto] está a descer a um ritmo saudável”.

A DBRS frisou também que os indicadores dos bancos portugueses relativos ao crédito também foram reforçados, “como evidenciado pela firme melhoria na qualidade dos ativos” das instituições, salientando ainda que “mudanças positivas na estrutura da economia portuguesa – incluindo exportações mais diversificadas e de maior qualidade e o aumento do investimento do setor privado – devem apoiar um crescimento [económico] mais equilibrado”.