Se antes parecia haver uma regra, agora não e deriva da lei. As comissões bancárias cobradas aos clientes não têm data para mudarem e por isso mesmo é bom que esteja atento aos anúncios do seu banco e aos preçários.

Esta quarta-feira foi a vez da Caixa Geral de Depósitos (CGD) mexer em algumas comissões de manutenção de conta, concretamente as cobradas aos estudantes universitários, com mais de 26 anos e na Conta Pacote.

Acresce os 2,75 euros + os 4% de Imposto de Selo (2,86 euros) que o banco passa a cobrar a quem levanta dinheiro no balcão com caderneta. As exceções são muitas, por isso o melhor é olhar bem para este preçário.

Se não percebe, não se acanhe e vá ao balcão perguntar.

Sobre o tema dos levantamentos, a modalidade não é nova e o Levantamento no balcão, salvo as exceções em cada instituição, já é cobrado por muitos bancos com atividade em Portugal, incluindo os cinco maiores bancos.

A TVI24 foi testar o simulador do Banco de Portugal (BdP).

Escolheu a opção Por Serviço

Produto: numerário

Serviço: Levantamento de numerário

Base: Pontual

Canal: Balcão

E descobriu, na página 10, que a própria CGD já cobrava 5,15 euros.

No simulador do BdP pode ainda avaliar o que cobra o seu banco por outros serviços e se há algum onde possa pagar menos ou se há serviços de que pode prescindir.

A Deco tem, inclusive na Economia 24, deixado alertas sobre o tema e as eventuais vantagens da conta de serviços mínimos bancários.

Veja também: Comissões bancárias: está na hora de volta a olhar para a sua conta

Esta quarta-feira, a responsável do Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado da Deco, Natália Nunes, disse à TVI24 que, "ao abrigo da livre prestação de serviços, os bancos podem cobrar e fazer as alterações de preçários que entenderem, mas estão obrigados a informarem os clientes."

"Isto obriga o consumidor a ler toda a informação e, caso entenda, pode optar por outra instituição se as novas condições não o agradarem", acrescentou.

A TVI24 contatou o BdP sobre o mesmo tema, mas não obteve resposta, até ao momento.

Para já, e dos cinco maiores, a próxima mexida a entrar em vigor será no Millennium BCP, a 17 de junho.