A Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa decidiu adiar a audição do governador do Banco de Portugal sobre a venda do Novo Banco, que estava agendada para hoje.

Ao final de perto de quatro horas de audição a Carlos Costa sobre as contas de 2016 e as atividades do Banco de Portugal (BdP) o governador acabou por não se pronunciar sobre o processo de venda do Novo Banco, que era um dos dois pontos em agenda, ficando este assunto para ser reagendado.

"A audição relativa à venda do Novo Banco será reagendada de acordo com a disponibilidade do senhor governador", anunciou a presidente da comissão parlamentar, Teresa Leal Coelho.

Durante a audição, Carlos Costa fez várias criticas à arquitetura da supervisão bancária europeia e sinalizou em diversas ocasiões a necessidade de independência da supervisão bancária.

O governador do BdP pediu ainda rapidez no processo de aprovação dos novos elementos da administração da instituição.

Fiz uma proposta que já deve ter chegado à comissão e que foi aceite pelo senhor primeiro-ministro. Aguardo que a muito breve trecho essa lista de nomes seja confirmada", disse Carlos Costa aos deputados.