Com as férias à espreita há portugueses que tentam arranjar uma casa para arrendarem, em Portugal ou no estrangeiro, mas quem deixa para mais tarde corre mais risco de se precipitar, sobretudo na hora de pagar.

A jurista da Deco, Maria João Ribeiro, esteve na Economia 24 para deixar alguns alertas.

Veja também: Sugestões mais económicas para as férias dos seus filhos enquanto trabalha

Plataformas online

O arrendamento da casa através da Internet é mais confortável, alarga o leque de ofertas e preço mais apetecíveis, mas obriga a ter alguns cuidados, para evitar burlas:

- verificar de existe o registo de alojamento local do proprietário do imóvel. Depois de o obter devo ir ao site do Turismo de Portugal e verificar as características do imóvel – email do proprietário, número do contribuinte do proprietário características do imóvel e localização

- desconfiar sempre dos anúncios nas redes sociais ou em sites que não são conhecidos e de preços baixos;

- fazer um contacto com o proprietário e, se possível, pedir para ver o imóvel – desconfiar sempre de quem lhe diz que não será possível por que está no estrangeiro, já que é uma desculpa muito frequente;

 - pesquisa na internet, se há anúncios semelhantes, com as mesmas fotos, ou se há denúncias de burlas sobre aquele anúncio;

- validação da identidade do anunciante/senhorio - validação do perfil de utilizador em plataformas na Internet e se a identidade do titular da conta bancária a depositar coincide com a do anunciante;

- se não obtiver validação do perfil de utilizador durante o processo de registo na plataforma online, não avance para o pagamento de qualquer reserva/sinal de casa, nem dê autorizações para pagamentos através do cartão de crédito;

- confirme as condições de cancelamento porque as políticas de cancelamento podem variar e algumas plataformas podem não reembolsar o valor das taxas de hospedagem. Na maioria dos casos é sempre possível cancelar, embora tenha de ver a política de cancelamento e os preços por que algumas plataformas têm as taxas e comissões no preço inicial e outras não;

- apague os cookies, caso contrário está a replicar a mesma buscar e a possibilidade de obter ofertas mais cara aumenta;

- os custos de limpeza também deve ser tidos em conta, por que por vezes não aparecem no valor inicial e irão aumentar o valor da reserva

Como reclamar se correr mal?

Se o consumidor não tiver conseguido evitar a burla - a Deco aconselha a denunciar às autoridades.

- pedir o livro de reclamações - que os estabelecimentos de alojamento local são obrigados a ter - quando a casa que arrendou não corresponde ao anunciado (pelas condições de alojamento, por exemplo) - em caso de reclamação, o original da folha é enviado para a ASAE, a entidade responsável pelo cumprimento da lei. Em casos mais graves, é possível recorrer aos Julgados de Paz ou aos Tribunais Judiciais, mas o processo é demorado e os custos mais elevados.

Envie qualquer questão para economia24@tvi.pt