A atividade de reabilitação urbana subiu 34,8% em agosto, em termos homólogos, traduzindo-se num “abrandamento” face aos 47,7% registados no mês anterior, segundo o barómetro da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), hoje divulgado.

De acordo com os dados apurados num inquérito mensal aos empresários do setor da construção civil e obras públicas, o mês de agosto foi de “abrandamento” do ritmo de crescimento registado nos últimos meses em termos de reabilitação urbana, verificando-se que o nível de atividade subiu apenas 34,8%, em termos homólogos.

O nível de atividade de reabilitação urbana registou no mês de julho “uma variação de 47,7%, em termos homólogos, e 1,5% face ao mês anterior”, mantendo a tendência de “crescimento significativo” verificada ao longo dos últimos meses.

Acompanhando a dinâmica do nível de atividade de reabilitação urbana, o índice que mede a evolução da carteira de encomendas das empresas neste segmento registou, também, “um abrandamento face ao ritmo registado nos meses anteriores, observando-se, em agosto, um aumento de 24,1% em termos homólogos e um decréscimo de 2,3% face ao mês anterior”, avançou a AICCOPN.

Relativamente à produção contratada em meses, ou seja, o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, este indicador fixou-se em 7,7 meses no mês de agosto, “valor que representa um acréscimo 4,8%, em termos homólogos”, segundo a informação do barómetro.

Fundada em 1892, a AICCOPN é uma associação de âmbito nacional, que representa cerca de 8.000 empresas do setor da construção civil e obras públicas.