«A questão formal é extremamente importante. Esta CPI estava a correr bastante bem. Da parte de todos os grupos parlamentares, existia uma lógica de descoberta da verdade e de colaboração, independentemente da diferenciação democrática», mas «de repente, por obra e graça da carta do dr. Ricardo Espírito Santo, esse espírito de colaboração cedeu, perante uma tentação irresistível de passarmos ao jogo político-partidário»












«Onde é que Carlos Abreu Amorim conclui que a prestação de esclarecimentos de alguma maneira pode proteger ou defender Ricardo Salgado?»




«Exatamente pelos mesmos argumentos? utilizados para chumbar as respostas, por escrito, de Cavaco Silva, «exatamente pelas mesmas razões», o Governo, «esse sim, está sujeito» a responder perante o Parlamento. «O primeiro-ministro esta na disposição de depor por escrito e responder por escrito nesta comissão».