"Havia a intenção, qualquer que fosse o partido que ganhasse as eleições, de aumentar o rendimento disponível dos cidadãos portugueses, na medida em que o país tinha completado com sucesso a execução do programa de ajustamento e tinha conseguido voltar aos mercados financeiros internacionais pedindo emprestado a taxas muito favoráveis", referiu Cavaco Silva.