A Caixa Geral de Depósitos registou lucros de 68 milhões de euros nos primeiros três meses do ano.

Os lucros de 68 milhões comparam com um prejuízo de 39 milhões no mesmo período do ano passado.

Pela primeira vez em muitos anos, a atividade em Portugal deu um contributo positivo aos resultados do banco público, mas as comissões em Portugal subiram e também ajudaram.

A margem financeira desceu 1% para 297 milhões de euros, com a margem financeira na atividade em Portugal a aumentar 6,1% para 182,9 milhões de euros.

Já os resultados de comissões e serviços cresceram 9% para 116 milhões de euros, para o que contribuiu o aumento de 13,8% das comissões em Portugal para 89 milhões de euros, o que, diz a empresa, reflete "as medidas do Plano Estratégico implementadas em 2017".

As provisões e imparidades reduziram-se 88%, passando dos 108 milhões de euros constituídos no primeiro trimestre de 2017 para 13 milhões de euros entre janeiro e março deste ano.

Ainda segundo os resultados esta quinta-feira divulgados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo reduziu em 250 o número de trabalhadores em Portugal no primeiro trimestre deste ano.

No final de março, a CGD tinha 8.071 funcionários na atividade doméstica, o que significa menos 250 face aos 8.321 trabalhadores que tinha no fim de 2017.

Já apenas a CGD Portugal reduziu o número de empregados em 168, ao passar de 7.689 no final de 2017 para 7.521 em março último.

Em termos de agências, a CGD Portugal (rede de atendimento presencial) tinha em março 587 balcões, os mesmos que no final do ano passado.