O presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues, apresentou esta manhã cumprimentos ao presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues. No final do encontro de 20 minutos não quis responder às perguntas dos jornalistas.

António Domingues chegou ao parlamento cerca das 11:00, hora prevista, e esteve reunido com Ferro Rodrigues até cerca das 11:20, abandonando a sala da Presidência do parlamento sem responder a questões.

O novo presidente da CGD quis apresentar cumprimentos ao presidente dos deputados numa altura de polémica relativamete ao valor do salário do gestor: Domingues vai ganhar 423 mil euros anuais e os vogais executivos vão auferir 337 mil euros por ano.

A estas verbas soma-se a componente variável, fazendo com que a sua remuneração total possa ir até aos 634 mil euros por ano, o equivalente a 45 mil euros por mês (pagos em 14 vezes).

Segundo noticiou na segunda-feira o jornal Público, António Domingues vai ainda poder, a partir de janeiro, juntar ao salário enquanto líder da CGD a pensão a que tem direito pelos descontos efetuados ao longo da carreira contributiva no BPI.

O assunto tem estado em destaque nos últimos tempos, com vários partidos a tomarem posições sobre a matéria como por exemplo o BE que pediu "decência" quanto aos salários dos gestores públicos.

O Ministério das Finanças disse na terça-feira que "não foi lapso" a decisão de os administradores do banco público deixarem de estar sujeitos ao Estatuto do Gestor Público e não terem de apresentar a declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional.