"[2016] acima de tudo, será um ano em que a CGTP, os sindicatos e os trabalhadores irão exigir respostas aos seus problemas, porque há um conjunto de problemas muito mais vasto que não tem nada a ver com a consolidação orçamental ou o défice", afirmou Arménio Carlos, em declarações à agência Lusa, após uma concentração em Lisboa.