O investimento chinês obtido através dos vistos gold caiu 11,3% em 2018, face a 2017, para 271,6 milhões de euros, no ano em que o Vietname substituiu a Rússia no 'top 5" de verbas captadas por nacionalidades.

De acordo com os dados disponibilizados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), o investimento proveniente da China, que lidera o 'ranking' por nacionalidades, totalizou 271,6 milhões de euros no ano passado, uma descida de 11,3% face aos 306,3 milhões de euros captados por via da Autorização de Residência para atividade de Investimento (ARI) em 2017.

No total, foram atribuídos no ano passado 485 vistos gold, contra 538 em 2017.

O investimento proveniente do Brasil ascendeu a 148,6 milhões de euros, menos 16,8% do que o registado um ano antes, no montante de 178,8 milhões de euros.

Durante o ano passado, foram atribuídas 180 ARI a cidadãos de origem brasileira, contra 226 em 2017.

Relativamente à África do Sul, assistiu-se a uma quebra de 38,4% no ano passado no valor do montante captado, face a 2017, para 31 milhões de euros, totalizando 57 vistos atribuídos, quando um ano antes o montante era de 50,4 milhões de euros (81 vistos).

Por sua vez, o investimento de origem turca mais do que duplicou (141%) no ano passado, face a 2017, para 98,1 milhões de euros, o que resultou da concessão de 188 vistos 'dourados'.

Em 2017, o investimento captado foi de 40,6 milhões de euros, totalizando a concessão de 78 ARI.

A Rússia, que integrava o 'top 5' anual por origem de investimento em 2017, perdeu no ano passado o lugar para o Vietname, cujas verbas captadas atingiram 28,2 milhões de euros, num total de 55 vistos gold atribuídos.

Em 2017, o investimento russo captado ascendeu a 34,2 milhões de euros, resultante da concessão de 47 vistos.

No ano passado, o investimento captado por via das Autorização de Residência para a atividade de Investimento (ARI) atingiu 838.532.935,27 euros, ligeiramente inferior (-0,6%) aos 844.088.897,77 euros registados um ano antes, altura em que este tinha caído 3,4%.

Em 2018 foram concedidos 1.409 vistos, mais 4,2% do que um ano antes.

Em dezembro, o investimento ascendeu a 94.344.457,39 euros, mais do que triplicando (210%) o registado em igual mês de 2017.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento, foram atribuídos 6.962 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017 e 1.409 em 2018.

Até dezembro passado, em termos acumulados, foram atribuídos 6.575 vistos 'dourados' por via da compra de imóveis, dos quais 249 tendo em vista a reabilitação urbana.

Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 374 e foram atribuídos 13 por via da criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

Por nacionalidades, em termos acumulados, a China lidera a atribuição de vistos (4.073), seguida do Brasil (653), Turquia (295), África do Sul (275) e Rússia (243).