Dois milhões de euros  é quanto Xi Jinping, o presidente da China, em visita de Estado a Portugal esta terça-feira, para ter por sua conta o histórico hotel Ritz em Lisboa, durante dois dias, noticia o jornal "I".

Mas a despesa feita pelo líder daquele país, que se quer colocar no lugar dos grandes, EUA e Rússia, e já afirmou que o seu país é uma superpotência, não fica por aqui. Xi Jinping, que só confia em produtos feitos na China, dispensou a carroçaria portuguesa e traz as três limusines blindadas em que se costuma deslocar. E como têm dimensões superiores às habituais houve necessidade de alargar quer a entrada da garagem do hotel Ritz, quer o portão da saída de emergência do aeroporto Humberto Delgado, por onde o presidente chinês, entre apertadas medidas segurança entrou hoje pelas 8h00. Em ambos os casos, diz o jornal, foi o presidente que pagou as obras.

Nesta visita, que está a ser preparada há meses, o presidente da China vai pernoitar em uma luxuosa suite do Ritz, no 10º piso, com vista para toda a cidade. É a primeira vez que Ritz faz este tipo de contrato.

Fortes medidas de segurança

Esta visita está envolta de fortes medidas de segurança. Há ruas cortadas, trânsito condicionado e até os residentes na zona do Ritz estão obrigados a determinadas regras.

Por exemplo, quem ali mora só circula se for revistado e se usar uma credencial

Interesses económicos

O presidente chinês será recebido pelas três primeiras figuras do Estado português, com parcerias económicas em pano de fundo.

O seu homólogo português disse esta terça-feira, numa entrevista ao canal de televisão chinês internacional CGTN que apesar de Portugal ter aliados tradicionais, estes dois países complementam-se. As relações com a China são "de uma fraternidade insubstituível".

Xi Jinping, por seu turno, já afirmou Portugal é uma peça importante da estratégia de internacionalização da economia, pela relevância que ocupa no mapa da União Europeia e pela sua influência em África, especialmente junto dos países de língua oficial portuguesa.

Os chineses são os principais acionistas de algumas das maiores empresas portuguesas na energia, banca, seguros, aviação e até comunicação social.

Esta viagem à capital portuguesa é a primeira visita oficial de um chefe de Estado chinês a Portugal desde outubro de 2010, quando o então Presidente da China, Hu Jintao, veio promover a Parceria Estratégica Global entre Portugal e a China.

Agenda oficial desta terça-feira

Xi Jinping vem antecipar o início das comemorações do Ano da China em Portugal e do Ano de Portugal na China e lembrar os 40 anos das relações diplomáticas entre os dois países.

O primeiro ponto da agenda é o encontro com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para a fotografia oficial, numa cerimónia com honras militares, na Praça do Império.

A poucos metros dali, Xi Jinping irá colocar uma coroa de flores no túmulo de Luís de Camões, no mosteiro dos Jerónimos. Depois, deslocar-se-á para o Palácio de Belém, onde assinará o Livro de Honra da Presidência da República e reunirá com Marcelo Rebelo de Sousa.

À noite, Xi Jinping terá um jantar oficial oferecido pelo Presidente da República de Portugal, no Palácio da Ajuda.

Agenda oficial de quarta-feira

Amanhã, o Presidente chinês e a sua delegação serão recebidos na Assembleia da República pelo seu Presidente, Eduardo Ferro Rodrigues, com honras militares.

No Palácio Nacional de Queluz, Xi Jinping será recebido pelo primeiro-ministro português, António Costa, para um encontro bilateral.

Partirá ao início da tarde.