A Carris, gerida pela Câmara Municipal de Lisboa, vai reforçar quatro das suas carreiras rodoviárias devido às duas greves do Metropolitano, agendadas para terça e quinta-feira, disse hoje à Lusa a empresa de transporte público.

Devido à greve do Metro, vamos reforçar as carreiras seguintes: 726 no troço Pontinha Metro – Estefânia; 736 nos troços Senhor Roubado – Marquês de Pombal e Campo Grande – Cais do Sodré; 744 no troço Oriente – Restauradores; e 746 no troço Sete Rios – Marquês de Pombal”, informou a Carris.

Segundo a empresa pública de transporte rodoviário de Lisboa, os reforços de carreiras vão ser assegurados nos dois dias de greve dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa.

Atendendo que, na terça-feira, dia 2 de novembro, a greve é parcial, “o reforço incidirá apenas na hora de ponta da manhã, até cerca das 10:30, hora em que o Metro já estará a funcionar normalmente”, adiantou a Carris.

Já na quinta-feira, dia em que a greve dos trabalhadores do Metro é de 24 horas, “os reforços serão efetuados durante todo o dia, com maior intensidade nas horas de ponta, da manhã e da tarde, e com uma menor intensidade durante o dia e no serão”, referiu a empresa gerida pela Câmara Municipal de Lisboa.

Nas duas greves do Metro que se realizaram esta semana, na terça e na quinta-feira, ambas parciais durante a hora de ponta da manhã, a Carris também reforçou a mobilidade nos eixos mais críticos da cidade.

Questionada sobre o reforço da oferta de transporte para dar resposta ao aumento da procura em virtude da cimeira tecnológica Web Summit, que se realizada em Lisboa, entre segunda e quinta-feira, coincidindo com os dias de greve no Metropolitano, assim como com a greve de 24 horas na Rodoviária de Lisboa, que se realiza na terça-feira, a Carris adiantou que vai disponibilizar “uma carreira especial entre a Gare do Oriente e a Praça do Comércio” e haverá reforços nas carreiras que servem a zona onde decorre o evento, conforme divulgado no ‘site’, em https://www.carris.pt/descubra/noticias/web-summit-2021/.

Os sindicatos convocaram a greve parcial no Metro de Lisboa para "a generalidade dos trabalhadores" para o período entre as 05:00 e as 09:30 e para os administrativos e técnicos superiores para entre as 09:30 e as 13:30.

O Metropolitano de Lisboa encontra-se recetivo à discussão das propostas apresentadas pelas entidades sindicais, sendo as mesmas objeto de negociação", indicou a empresa numa nota.

As ações de luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa são em protesto contra o congelamento salarial e exigindo o preenchimento imediato do quadro operacional e as progressões na carreira.

O Metropolitano de Lisboa opera com quatro linhas: Amarela (Rato-Odivelas), Verde (Telheiras-Cais do Sodré), Azul (Reboleira-Santa Apolónia) e Vermelha (Aeroporto-São Sebastião). O serviço funciona das 06:30 às 01:00 todos os dias.

/ CE