A Câmara Municipal de Mafra decretou, na quarta-feira, o estado de alerta municipal, na sequência da greve dos motoristas, marcada para o próximo dia 12 de agosto. A autarquia está a racionar o fornecimento de combustível e a impor restrições ao abastecimento.

Cada veículo ligeiro poderá abastecer apenas até 25 litros de combustível, enquanto os veículos pesados poderão abastecer até aos 100 litros. O abastecimento de gasóleo agrícola fica restringido a 100 litros. A venda em jerricã está proibida.

A situação de alerta encontra-se em vigor desde as 17:00 horas de quarta-feira. A Comissão Municipal de Proteção Civil "apela à população para que proceda ao consumo moderado de combustível". Mafra é assim a primeira localidade a tomar medidas na sequência da greve agendada para a próxima segunda-feira.

No despacho é ainda determinado que todos os operadores de venda de combustíveis no município de Mafra ficam obrigados a conservar 20% do combustível armazenado (gasolina e gasóleo simples) para “uso exclusivo das forças de segurança, forças prioritárias e de apoio comunitário do município”.

O braço-de-ferro entre o Governo e os sindicatos prossegue. Os trabalhadores já anunciaram que vão impugnar os serviços mínimos e apresentar queixa no Tribunal dos Direitos do Homem. 

Veja também: Veja aqui os postos onde pode abastecer em caso de greve
 

O Governo decretou na quarta-feira serviços mínimos entre 50% e 100% para a greve dos motoristas de mercadorias que se inicia no dia 12 por tempo indeterminado.

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA - Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários.