A comercializadora da EDP para o mercado liberalizado, a EDP Comercial, tem em marcha uma nova estratégia para conseguir garantir a estabilidade da sua carteira de clientes industriais – e as receitas que representam – nos próximos anos, noticia o público.

A empresa está a notificar por carta todos estes clientes com contratos em final de prazo de que a sua duração vai ser alterada para cinco anos devido à “actual conjuntura de preços no mercado da energia”.

Caso não concordem com as novas condições, os clientes terão de “proceder à resolução do contrato”, afirma a EDP Comercial nas cartas a que o jornal teve acesso e que foram enviadas em dezembro.

Nos documentos, que começam precisamente com a frase “a duração do contrato de fornecimento de energia vai ser alterado”, a eléctrica refere que a conjuntura dos preços no mercado grossista (em movimento de subida desde o ano passado) não lhe permite manter as condições contratuais. E assim apresenta uma solução: “Para nos ser possível manter os preços actualmente constantes do seu contrato de fornecimento de energia e evitarmos os aumentos impostos pelo mercado grossista de energia, será necessário prolongar a vigência do seu contrato até 31-12-2023”, lê-se nas cartas.