A Comissão Europeia aprovou esta quarta-feira uma nova sociedade conjunta para o negócio de seguros em Portugal do banco Santander Totta e do grupo segurador Mapfre, considerando que o negócio não causa “preocupações de concorrência” a nível europeu.

Em comunicado, o executivo comunitário informa que aprovou, “ao abrigo do regulamento das concentrações comunitárias, a aquisição do controlo conjunto da Popular Seguros de Portugal pela Mapfre S.A. e pelo Banco Santander, S.A., ambos de Espanha”.

A companhia Popular Seguros é uma subsidiária do Banco Santander ativa no mercado dos seguros não vida em Portugal, enquanto a Mapfre é uma seguradora presente em 45 países.

Bruxelas justifica a decisão argumentando que “aquisição proposta não levanta preocupações de concorrência, dadas as sobreposições horizontais muito limitadas e as relações verticais entre as atividades das empresas”.

Em julho passado, o banco Santander Totta informou em comunicado que, na nova empresa, a Mapfre passará a controlar 50,01% do negócio conjunto de seguros em Portugal, enquanto o Santander Totta terá os restantes 49,99%.

A previsão é que a nova sociedade, cuja criação depende ainda da aprovação das autoridades competentes, possa começar a produzir seguros no quarto trimestre de 2020", indicou o banco na informação divulgada na altura.

Quando a empresa for concretizada, o banco irá distribuir em exclusivo em Portugal, até dezembro de 2037, os seguros automóvel, multirrisco PME (pequenas e médias empresas) e seguros de responsabilidade civil da Mapfre.

Este é o primeiro negócio fora de Espanha entre o grupo Santander e a seguradora Mapfre, depois de em janeiro de 2019 terem feito acordos de negócio para o mercado espanhol.

O acordo implica ainda a aquisição pela Mapfre Vida da carteira em 'run-off' (contratos em extinção) de seguros de vida, atualmente propriedade da Santander Totta Seguros.

/ AG