A Oi e seu acionista Pharol/Bratel chegaram a acordo para o "encerramento e extinção de todo e quaisquer litígios judiciais e extrajudiciais", anunciou a empresa em comunicado.

Assim, e após negociações nas quais "chegaram a um consenso", terminam todos os litígios "no Brasil, Portugal e em todos os diferentes países onde existem discussões envolvendo empresas dos dois grupos", adianta a Pharol.

Recorde-se que no final do ano a Pharol pedia uma indemnização de 2 mil milhões de euros à Oi paga em dinheiro. 

A Oi está num processo de recuperação judicial desde 2016 com o objetivo de reduzir o passivo, que ronda os 65,4 mil milhões de reais (cerca de 13,8 mil milhões de euros).

A Pharol era a principal acionista daquela companhia, detendo 27,18% através da sua subsidiária Bratel, mas, com o Plano de Recuperação Judicial da Oi, passou a ter menos de 8% por ter optado não participar na recapitalização da operadora mediante conversão de dívida.

Esse Plano de Recuperação Judicial propõe-se, assim, a reduzir o passivo da companhia brasileira, através da conversão de 72,12% da dívida suportada pelos credores, aos quais serão concedidos direitos sobre a empresa.

/ JGF com Lusa