Os parceiros sociais voltam hoje a reunir-se para discutir o salário mínimo para 2019. O Governo assumiu que 600 euros é um ponto de partida e que não se vai opor-se a um valor superior desde que haja acordo na concertação social

A UGT reclama a subida dos atuais 580 euros para 615. A CGTP pede um aumento do salário mínimo para 650 euros. Já do lado das confederações patronais, tanto a CIP como a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal têm defendido que não há condições para as empresas suportarem um valor acima de 600 euros devido à elevada carga fiscal.