“Vamos analisar a proposta de Governo, Sempre dissemos que estávamos disponíveis para negociar, mas a proposta tem de ser melhorada, é curta”, sublinhou, à entrada para a reunião.




“O ritmo e valores [da subida do salário mínimo nacional] têm de ser realizados tendo em conta o nosso tecido empresarial e a evolução da economia”, alerta João Vieira Lopes, presidente da Confederação de Comércio e Serviços.