A Mota Engil ganhou um contrato de 228 milhões euros no México, aumentando a carteira de encomendas em mais de 400 milhões de euros na América Latina, informou hoje a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

“O consórcio vencedor, onde a MOTA-ENGIL MEXICO detém uma participação de 74%, será responsável pela reabilitação, manutenção e operação de uma autoestrada com 130 quilómetros por um período de dez anos, com início em dezembro de 2017”, lê-se no comunicado que a empresa enviou à entidade reguladora do mercado de capitais.

A construtora diz ainda que, nas últimas semanas, viu a carteira de encomendas aumentar em vários países da América Latina, destacando um contrato de construção, operação e manutenção da Ponte Veracruz, no México, com um valor total de 90 milhões de euros.

“Ainda no México, a subsidiária SOCIEDAD GENERADORA FÉNIX (“SGF”) ganhou, recentemente, o direito e a obrigação de venda de 314,6 mil CEL1 (Certificados de Energia Limpa) por ano, durante um período de 20 anos a ter início em 2019”, refere-se no documento.

Esta atribuição vem no seguimento do segundo leilão realizado pela agência Estatal Mexicana CENACE (Centro Nacional de Controlo de Energia).

No Peru, a MOTA-ENGIL ganhou um contrato de construção que ascende a 21 milhões de euros e que visa o melhoramento no hospital de Huari.

Este contrato, com prazo de 18 meses, foi adjudicado no âmbito do sistema peruano de financiamento “Obras por impostos”, que tem como objetivo promover o investimento em infraestruturas cruciais ao país.

Na Colômbia, a MOTA-ENGIL ganhou dois contratos de infraestruturas na cidade de Barranquilla, num valor total de 41 milhões de euros.

A EMPRESA será responsável pela construção de um sistema de drenagem, assim como por trabalhos de proteção e de urbanização na orla fluvial do rio Magdalena.

No Paraguai, foi adjudicado ao consórcio no qual a Mota-Engil detém uma participação de 20%, o projeto de desenho, financiamento, construção, manutenção e operação da duplicação e melhoramento das vias designadas “Ruta 2” e “Ruta 7”, que ligam a capital Asunción à segunda cidade do país, Ciudade del Este, numa extensão de 170 quilómetros.

O valor total de construção é de cerca de 275 milhões de euros e o contrato de manutenção e exploração decorre durante um período de 30 anos, segundo a mesma fonte.

Estes contratos irão contribuir “para um aumento de mais de 400 milhões de euros da carteira de encomendas na América Latina”, afirma a empresa.