O montante de novos contratos de crédito ao consumo em Portugal tiveram um crescimento homólogo de 6,7% para 512 milhões de euros (ME) em outubro de 2016, suportado pelos créditos pessoais sem finalidade específica, segundo dados do Banco de Portugal (BdP).

O crescimento do montante é superior ao de novos créditos. Deste ponto de vista, o número de novos contratos de crédito ao consumo em Portugal aumentou uns ligeiros 0,2% no mês em análise, face ao período homólogo de 2015. Quando comparado com o mês anterior, o crescimento foi de 1,6%. No total 123.513 contratos novos de crédito.

A instituição liderada por Carlos Costa refere que o crédito pessoal destinado à Educação, Saúde, Energias Renováveis e Locação Financeira de Equipamentos subiu 0,8% para 5,6 milhões em termos homólogos, mas quando comparado com o mês anterior teve uma queda de 21,2%.

Já a rubrica de outros créditos pessoais sem finalidade específica, ascendeu em outubro a 230 milhões, a que corresponde um aumento homólogo de 9,8%. Em relação ao mês anterior teve uma descida de 0,4%.

No caso do crédito automóvel, o valor dos empréstimos para viaturas novas, com reserva de propriedade e outros, cresceu 3%, em termos homólogos, para 47,6 milhões, enquanto na mesma modalidade, mas para automóveis usados, a subida foi de 19,2% para 113,6 milhões.

Já no caso da utilização do crédito para compra de automóveis em locação ou ALD, houve uma queda homóloga de 13,2% para 5,2 milhões, no segmento de usados, e uma queda de 11,6% para 25,3 milhões no segmento de carros novos.

O banco central realça ainda que o crédito via cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto caiu 4,7%, em termos homólogos, para 84,6 milhões.

Estes valores são obtidos a partir de informação que as instituições de crédito reportam ao Banco Portugal.

Redação / ALM