As compras físicas pagas através da Rede Multibanco sofreram uma queda de 34% na segunda quinzena de janeiro, devido ao novo confinamento, e de 22% na totalidade do mês, em termos homólogos, revelou esta quinta-feira a SIBS.

“Comparativamente com o ano anterior, registou-se um decréscimo de 22% nas compras físicas na Rede Multibanco em janeiro, face ao mesmo mês de 2020”, informou a gestora de pagamentos, em comunicado, acrescentando, porém, que numa “análise por quinzena, no pré e atual confinamento, verifica-se que a quebra é ainda mais acentuada nos últimos 15 dias, com as compras físicas a caírem 34%, em linha com o registado no primeiro confinamento de março a maio”.

Com a maioria das lojas não essenciais novamente fechadas, o comércio ‘online’ (‘e-commerce’) “volta a ser um indicador relevante na dinamização do consumo no regresso ao confinamento geral e às medidas mais restritivas no controlo da pandemia, representando no último mês de janeiro 16% do total de compras eletrónicas”, referiu a SIBS.

Naquele contexto, o pagamento através de MB Way destacou-se com um dos sistemas preferidos, tanto por consumidores individuais, como por empresas, “com um crescimento de 269% neste canal, em comparação com o mesmo período do ano passado”.

Também nas compras em loja o aumento do recurso ao MB Way como forma de pagamento “tem sido muito significativo”, subindo 234% no último mês, face a janeiro do ano passado, antes dos primeiros casos de covid-19 confirmados em Portugal.

Assim, em janeiro deste ano, com um novo confinamento decretado a partir do meio do mês, “registou-se um incremento de 37% das compras 'online', em comparação com o mesmo período do ano passado”, observou a SIBS.

O número de transações no ‘e-commerce’ continua em crescendo face ao período homólogo, em contraciclo com a tendência geral de quebra de consumo”, referiu a dona da rede Multibanco.

Apesar de todas as regiões do país terem registado quebras significativas no consumo em loja, a região de Lisboa e Vale do Tejo foi onde a retração no consumo mais se acentuou, com uma diminuição de 30% em janeiro, “valores muito próximos do primeiro confinamento”.

Já o Arquipélago dos Açores, com medidas menos restritivas, registou a menor redução (5%) no consumo em loja, “bastante longe dos valores de março a maio de 2020, em que se registaram quebras de 24%”.

Segundo a SIBS, o valor médio das compras registado em janeiro foi de 37 euros em loja e de 34,90 euros no comércio ‘online’, com uma variação negativa de 4% em ambos os canais, face a novembro e dezembro de 2020.

/ RL