A TAP vai reduzir a sua operação a partir de segunda-feira e até 19 de abril, período durante o qual apenas prevê cumprir 15 dos cerca de 90 destinos que operava, como principal medida de contenção do Covid-19,

Nas últimas 24 horas verificaram-se evoluções significativas das condicionantes acima referidas e, em consequência, a TAP vai reduzir de forma expressiva a operação e parquear grande parte da sua frota de aviões", pode ler-se no comunicado.

A companhia aérea assegurou os voos em todas as rotas, "em que os mesmos sejam possíveis", de modo a "dar resposta à missão de transportar os seus clientes para junto das suas famílias".

Antonoaldo Neves, CEO da TAP, disse que “estamos a trabalhar na continuidade do nosso negócio convictos de que em breve voltaremos ao ritmo normal da nossa atividade, sempre com o foco no futuro, na sustentabilidade e no crescimento da nossa TAP. Agradecemos  o empenho e o sentido de missão dos nossos colaboradores neste momento em que todos têm dado tudo de si para tratar dos nossos clientes e de Portugal.”

Os clientes afetados pelos cancelamentos de voos neste período, poderão ir ao site refunds.flytap.com para obter o seu voucher no valor pago pela aquisição do bilhete.

Veja abaixo a lista das rotas que a TAP vai operar entre 23 de março e 19 de abril, sendo que a mesma pode ser ajustada "sempre que as circunstâncias assim o exijam".

Ryanair suspende todas as viagens a partir de quarta-feira

A companhia aérea de baixo custo Ryanair anunciou que a partir da próxima quarta-feira irá suspender todas as viagens na sequência das restrições impostas pelos governos para combater a pandemia de coronavírus.

As únicas exceções, refere a companhia aérea de baixo custo irlandesa em comunicado enviado na quarta-feira, serão um pequeno número de voos destinados a manter as ligações essenciais, principalmente entre o Reino Unido e a Irlanda.

Assim, conforme já tinha anunciado anteriormente, desde hoje até dia às 24:00 de 24 março, o grupo Ryanair reduzirá a programação de voos em mais de 80%.

A partir das 00:00 de quarta-feira, a maioria ou todos os voos do grupo Ryanair ficará em terra, apenas serão operados "um número muito reduzido de voos para manter um nível de conectividade essencial, principalmente entre o Reino Unido e a Irlanda”.

A disseminação do vírus Covid-19 levou a maioria dos governos da União Europeia a impor severas proibições e restrições de viagens, o que impactou negativamente a programação de todas as companhias aéreas do grupo”, sinaliza.

A Ryanair indica ainda que todos os clientes afetados receberão um e-mail e serão informados sobre as suas opções, pedindo aos clientes que não utilizem os contactos telefónicos para pedidos de informação, uma vez que as linhas telefónicas estão sobrecarregadas com consultas de clientes.

A Ryanair continuará em estreito contacto com os ministérios dos Negócios Estrangeiros de todos os governos da União Europeia sobre a repatriação de cidadãos e, sempre que possível, poderemos operar voos para apoiar esta repatriação”, refere.

/ RL