A companhia aérea alemã Lufthansa chegou esta quarta-feira a acordo com o sindicato dos pilotos Cockpit para uma série de cortes provisórios devido às repercussões da pandemia e para evitar despedimentos imediatos, informou a companhia.

Neste acordo, a companhia compromete-se a não fazer cortes no pessoal antes do segundo trimestre do próximo ano.

Por sua parte, o sindicato aceitou uma redução nas contribuições adicionais da empresa para os salários subsidiados por redução de horas e nas contribuições para o fundo de reforma. Foi também acertado um adiamento do aumento salarial previsto para o próximo ano.

O acordo dá às duas partes margem para continuarem a negociar medidas de longo prazo para contrariar a crise causada pela pandemia de covid-19.

Entre as medidas que se contemplam está uma redução salarial durante a crise para compensar o excesso de pessoal.

A Lufthansa tem em todo o mundo cerca de 138 mil empregados e considera que a crise levou a um excesso de pessoal de 22.000 trabalhadores.

A médio prazo está a ser ponderada uma redução na frota de aviões.

Para o pessoal de cabine, foram acertadas com o sindicato UFO medidas de poupança que equivalem a 2.600 postos de trabalho e as negociações com o sindicato do pessoal de terra estão interrompidas.

/ AG