A maioria dos países membros do G20 registou quedas sem precedentes do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano devido à pandemia, com um recuo conjunto recorde de 6,9% face ao primeiro trimestre, anunciou esta segunda-feira a OCDE.

Num comunicado divulgado esta segunda-feira, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) sublinha que a China foi o único país do G20 a registar um aumento do PIB no segundo trimestre, com uma subida de 11,5%, refletindo o "início precoce" da pandemia naquele país e a sua "subsequente recuperação".

Nos outros países do grupo, o PIB desceu 11,8% no segundo trimestre, quando os efeitos das medidas de encerramento e confinamento da população para combater a propagação da covid-19 se generalizaram.

A Índia liderou as quedas, com menos 25,2% do PIB, seguida pelo Reino Unido (-20,4%), México (-17,1%) e África do Sul (-16,4%).

A estes países seguiram-se França (-13,8%), Itália (-12,8%), Canadá (-11,5%) e Turquia (-11%).

O Brasil e a Alemanha (ambos caíram 9,7%), os Estados Unidos (-9,1%) e o Japão (-7,9%), apresentam quedas ligeiramente mais moderadas, enquanto que a Rússia e a Coreia do Sul recuaram ambas 3,2%.

/ RL