Há cada vez mais vítimas de burla com as moedas virtuais.

São interpeladas por alegados intermediários financeiros que lhes prometem rentabilizar o dinheiro, se investirem em bitcoins.

A especulação sobre estas criptomoedas não está regulamentada e abre portas às burlas, como aquela que a TVI investigou.

Foi através do site ProCapitalMarkets que "Manuel", nome fictício", autorizou o seu interlocutor, sem rosto, a investir os primeiros 500 euros em litecoins, uma variante das moedas virtuais.

Tinha acabado de arrastar a família para uma armadilha da qual só se apercebeu mais tarde, quando todas as poupanças já estavam nas mãos de Mark.

Sem se dar conta da dimensão do que estava a acontecer, e já em diálogo telefónico com o homem que o ia fazer ganhar uma fortuna, forneceu toda a informação sobre as suas contas bancárias.

E acabou por dar o OK para que Mark entrasse remotamente no seu computador através da apliacação AnyDesk.

"Manuel" tinha perdido em absoluto o controlo da sua vida.

Via email continuava a chegar falsos comprovativos de ganhos e nem o pagamento de uma taxa de 23 mil euros, para recuperar o que investira, o fez vacilar.

108 mil euros depois, e boa parte da esperança de voltar a ver o dinheiro perdida, acabou por tomar medidas.

O Banco de Portugal não quis fazer qualquer comentário e a CMVM remete para os alertas aos investidores que tem publicado no seu site.