Em tempo de “vacas magras” os bancos continuam a aproveitar todas as oportunidades para obterem mais receitas. E numa altura em que os juros travam a captação de depósitos, cobrar pelos serviços surge como a grande alternativa, embora sob protesto concretamente de associações como a Deco – quando se trata, por exemplo, do pagamento pela manutenção da conta à ordem (só porque se tem uma conta aberta.)

A TVI24 foi dar uma vista de olhos aos preçários para 2019 dos maiores bancos a operarem em Portugal e chegou à conclusão que, quem ainda não fez alterações prepara-se para fazer até maio. Por isso, veja com atenção o que estava a pagar e paga pelos serviços que o seu banco lhe presta e se, de facto, não pode renegociar ou cortar algo para poupar.

Veja também: Como as comissões rendem milhões e milhões aos bancos

No caso do Novo Banco as alterações no preçário começaram a 1 de setembro de 2018 e, consoante as operações, vai haver modificações até 30 de maio. Sobre as operações via MB Way, no preçário consta 0,15 euros por operação ao qual acresce imposto de selo , mas ainda não está a ser a aplicado.

À TVI24, fonte oficial do banco disse que, "as operações não têm atualmente custo para os clientes Novo Banco e não existe previsão de quando se vai passar a cobrar."

Já no BPI, as mudanças no preçário chegam entre 1 de abril e 1 de maio, sendo que a manutenção de conta passa a custar 0,34 euros por mês para os clientes que não aderiram à nova “Conta Valor” do banco. Também as transferências MB Way - Dispositivo Móvel (APP MB Way) passam a representar um custo de 1,20 euros. Mas há exceções. Se tiver a BPI APP, tem associada o MB Way e também não vai pagar nada, mesmo a partir de maio. Também neste caso, se tiver "Conta Valor" continuará isento do pagamento.

No Millenniumbcp o dia 1 de abril também traz mudanças para quem tem uma conta de valor inferior a 10.000 euros, no que toca ao preço da manutenção de conta. Já sobre as transferências por MB Way, assegurou fonte oficial do banco à TVI24 que: “neste momento, e desde o lançamento do serviço MB Way, o Millenniumbcp não aplica o seu preçário para estas transferências, sendo o serviço grátis para todos os nossos clientes.”

No Santander, as mudanças ao preçário entraram em vigor a 7 de janeiro. Atualmente, o banco não cobra comissões em transferências MB Way. "Estamos a avaliar, mas ainda não há nenhuma decisão. Mas é normal que, sendo um serviço prestado, venha a ser cobrado", referiu fonte oficial.

Também o banco público, CGD vai proceder a algumas alterações ao seu preçário a partir de 1 de maio, embora fonte oficial do banco garanta que “a Caixa não está a cobrar comissões de transferência MB Way, apesar de ter em preçário 0,20 euros.”

A TVI24 contatou todos os bancos mencionados, mas nem todos responderam ainda. Dizer que o serviço de MB Way consta dos preçários dos bancos que o podem cobrar ou não, dependendo da política comercial. A maioria tinha optado, até agora, por não o fazer, isentando os clientes.

De referir ainda que em qualquer momento pode consultar o comparador do Banco de Portugal sobre este tema.

Veja também: Comissões bancárias: procure as mais baratas