As exportações portuguesas aumentaram 3,8% e as importações subiram 12,1% em março face ao mesmo mês de 2018, desacelerando relativamente a fevereiro, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em fevereiro as exportações tinham progredido 4,7% e as importações 12,7% em termos homólogos e nominais.

Segundo as “Estatísticas do Comércio Internacional” do INE, a evolução das exportações deveu-se sobretudo ao aumento de 4,5% do comércio intra-União Europeia (UE), "sendo de destacar o aumento registado nas exportações de material de transporte (+16,7%), categoria que teve um contributo de +3,1 pontos percentuais para a taxa de variação homóloga total”.

Já as importações aumentaram 12,1% (subida de 12,7% em fevereiro de 2019), em resultado da evolução registada em ambos os tipos de comércio, mas sobretudo no comércio intra-UE (+12,5%).

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 5,5% e as importações cresceram 12,5% em março (+7,4% e +13,2%, respetivamente, em fevereiro de 2019).

Considerando o acumulado do primeiro trimestre de 2019, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 4,0% e 13,4% face ao mesmo período de 2018 (+5,0% e +11,6%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em fevereiro de 2019).

Em março de 2019, o défice da balança comercial de bens totalizou 1.895 milhões de euros, correspondente a um aumento de 573 milhões de euros face ao mês homólogo de 2018, sendo que excluindo os combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1.458 milhões de euros, com um aumento do défice de 449 milhões de euros em relação a março de 2018.

Relativamente às variações face ao mês anterior, “em março de 2019 as exportações aumentaram 6,4% (-2,3% em fevereiro de 2019), principalmente em resultado do aumento no comércio intra-UE (+7,2%), e as importações cresceram 11,3% (-8,5% em fevereiro de 2019) como resultado da evolução do comércio intra-UE (+14,9%), dado que o comércio extra-UE apresentou uma variação negativa face ao mês anterior”.

O INE destaca, entre os principais países de destino em 2018, os acréscimos homólogos nas exportações para Itália (+22,7%) e Alemanha (+6,3%), ambos pelo “aumento significativo” da venda de automóveis para transporte de passageiros, e ainda para França (+5,5%). Já os maiores decréscimos registaram-se nas exportações para Angola (-26,3%) e Países Baixos (-9,5%).

Em relação aos principais fornecedores em 2018, em março de 2019 destacam-se os aumentos, em termos homólogos, nas importações de França (+47,7%) pela maior quantidade importada de outro material de transporte (maioritariamente aviões e suas partes), e de Espanha (+10,9%).