Afinal quem quer descer a Taxa Social Única (TSU)? O PSD em definitivo. O PS talvez, mas pouco. Já Francisco Louçã garante que José Sócrates quer que os empresários descontem menos para a Segurança Social e acusa o PS de esconder esta intenção.

No frente a frente com Sócrates, na SIC, o líder do Bloco de Esquerda acusou-o de ter enviado uma carta em que defende essa redução.

Uma carta que o ministro das Finanças se apressou a desmentir, uma informação reforçada pelo ministro da Presidência no Conselho de Ministros.

Horas depois, foi o próprio Bloco de Esquerda que tentou colocar uma pedra no assunto. Afinal, era uma questão semântica: quando falava da carta, Louçã referia-se ao memorando com a troika.

Mas a polémica continua: O PS não se compromete com uma descida da TSU, muito menos dá um valor para essa redução. Já o PSD avançou que o corte pode chegar a 4% desta taxa, ou seja, uma perda de receita para o Estado de cerca de 1,7 mil milhões de euros.

Para confundir mais as coisas, na passada sexta-feira, Poul Thomsen garantia, em entrevista, uma publicação do próprio FMI: «O Governo pondera agora uma mudança dramática das regras do jogo através de uma forte redução das contribuições para a Segurança Social na ordem dos 3% a 4% do PIB».

Esta percentagem representa quase sete mil milhões de euros a menos nos cofres da Segurança Social.
Redação / Isabel Loução dos Santos (TVI)