No rol de alterações fiscais, anunciadas esta quarta-feira pelo ministro das Finanças, durante a apresentação do documento de estratégia orçamental, também há agravamento de impostos para as empresas.

«O agravamento fiscal será traduzido numa taxa adicional de 3% sobre o lucro tributável superior a 1,5 milhões de euros, reduzindo portanto o limite que na derrama estadual em vigor se fixava em 2 milhões de euros», disse Vítor Gaspar, confirmando as notícias que davam conta de um aumento de IRC.

« A taxa adicional de IRC é, na prática, o agravamento da derrama estadual da tributação das empresas com lucros mais elevados».

Segundo Vítor Gaspar esta «taxa solidária», à semelhança do agravamento do último escalão do IRS, será «temporária».
Redação / Vanessa Cruz com JF