O Ministério das Finanças admitiu esta terça-feira que uma parte do sistema informático de cobrança de impostos está sem funcionar devido a procedimentos de manutenção, mas garantiu que isso não impede a cobrança de impostos.

«Não é verdade que o sistema informático da DGCI esteja totalmente inoperacional», garantiu fonte oficial do Ministério à Lusa.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, um apagão informático impediu a Direcção-geral de Contribuição e Impostos, de cobrar impostos ou fazer penhoras desde segunda-feira.

«O que se verificou foi uma inoperacionalidade parcial do sistema de cobrança coerciva e apenas desse. Tudo o resto está a funcionar», afirmou a mesma fonte das Finanças, acrescentando que a situação se deve a «procedimentos de manutenção e actualização de tabelas que estarão concluídas quarta-feira».

Esta inoperacionalidade parcial do sistema de cobrança coerciva não impede a cobrança de impostos dado que «a funcionalidade de pagamento de dívidas está a funcionar e todo o sistema de pagamentos voluntários de impostos está em plena produção».

O Ministério das Finanças explica ainda que o sistema de gestão de recursos humanos teve nos últimos dias «problemas de sobrecarga, em face dos prazos de conclusão de procedimentos internos».

«Naturalmente estes prazos serão agora ajustados de modo a permitir concluir os correspondentes procedimentos de contratualização», assegura, referindo-se à avaliação de desempenho.
Redação / CPS