Na sequência do processo de avaliação que arranca este mês, cerca de 60 por cento dos prédios que vão ser sujeitos a reavaliação para efeitos do IMI arriscam-se a sofrer um aumento de imposto superior a 75 euros, revelam as estimativas do Ministério das Finanças, noticia o «Jornal de Negócios».

Para estes casos, e com o objectivo de atenuar o impacto de subidas abruptas do imposto, vai haver um regime transitório com um «travão» para os primeiros aos da avaliação geral de imóveis.

Assim, a nova lei inclui uma cláusula geral de salvaguarda que prevê que sempre que o aumento anual da colecta de imposto «exceda 75 euros, esse aumento seja repartido por um período de três anos (¿)», explica o ministério, citado pelo jornal.
Redação / LF