O Governo está disposto a acabar com as tarifas de electricidade para os domésticos, tal como fez para as empresas, mas apenas quando o mercado liberalizado demonstrar «maturidade suficiente» e uma «concorrência perfeita» na baixa tensão.

«Logo que houver a maturidade de mercado suficiente daremos esse passo [a liberalização total da electricidade até para os domésticos]. Mas também temos consciência de que os domésticos têm muito menor capacidade negocial que as indústrias», disse o secretário de Estado da Energia em entrevista à Lusa.

Carlos Zorrinho admitiu que a criação de uma tarifa social em 2011 é primeiro passo nesse sentido.
Redação / RL