A Comissão Arbitral das Agências de Viagens condenou a Marsans a pagar os reembolsos aos clientes em oito de 11 reclamações analisadas, pelo que decidiu accionar a caução da agência espanhola.

A informação consta de um comunicado divulgado pelo Turismo de Portugal, em cujas instalações se reuniu, na sexta feira, a Comissão Arbitral, para analisar as reclamações relativas à Marsans.

Até ao momento, a Comissão Arbitral decidiu 26 casos de pedidos de acionamento de caução.

Há dez dias, a estrutura apreciou sete reclamações por «incumprimento da agência Marsans», tendo deliberado «accionar a respectiva caução em três dos processos».

À reunião de sexta feira faltou o representante da Marsans Lusitana. A próxima está agendada para 13 de agosto.

A Comissão Arbitral das Agências de Viagens (para o caso Marsans) integra ainda representantes do Turismo de Portugal, da DECO - Associação Portuguesa para a Defesa dos Consumidores, da Associação Portuguesa das Agências de Viagem e Turismo e da Direção Geral do Consumidor.

Centenas de pessoas que compraram pacotes de viagens à Marsans ficaram, recentemente, sem poder viajar, já que a empresa mandou fechar 30 lojas em Portugal, sem emitir voucher e sem pagar aos operadores.

O valor total da caução depositada pela Marsans é de 25 mil euros. Mais de 300 reclamações foram recebidas no Turismo de Portugal.
Redação / JF