As receitas fiscais estão a cair. De acordo com os dados da Direção-geral do orçamento (DGO) revelados esta sexta-feira, as receitas de impostos caíram 5,8% nos primeiros três meses deste ano.

O relatório de execução orçamental mostra uma descida de 27,6% no encaixe com o IRC e uma quebra de 3,2% nas receitas de IVA.

O Imposto sobre Veículos (ISV) apresenta a queda mais expressiva: 47,5%. Mas o imposto sobre tabaco também rendeu menos 18,7% e o Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) menos 7%.

O IRS subiu 1,2% e o Imposto Único de Circulação (IUC) cresceu 8,5%.

Mas a DGO atribui a queda das receitas com impostos a fatores excecionais. «Retirando o efeito das receitas atípicas, nomeadamente em sede de IRC, ocorridas em janeiro de 2011, em resultado da antecipação generalizada da distribuição de dividendos em Dezembro de 2010, a receita acumulada dos impostos diretos seria superior em 0,4% face à receita do período homólogo de 2011 e a receita fiscal acumulada registaria um decréscimo de cerca de 3,8% face ao mesmo período».
Redação