Os portugueses transferiram mais de 670 milhões para paraísos fiscais pouco transparentes, de acordo com a União Europeia. Na lista de offshores que são destino dos milhões portugueses, a Suíça surge em primeiro lugar.

A União Europeia identificou 41 offshores, organizados em duas listas, a cinzenta e negra, consoante o nível de transparência e a cooperação no combate à fraude fiscal. Foi para 16 desses territórios que saíram 672 milhões de euros, transferidos pelos bancos a operar em Portugal. Desses, quatro territórios constam da lista negra: Belize, Omã, Trinidade e obago e Vanuatu. As transferências representaram apenas 11 milhões dos 670 totais.