A búlgara Kristalina Georgieva tornou-se esta quarta-feira a segunda mulher a ser nomeada diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), anunciou o Conselho de Administração da instituição em Washington.

Georgieva, 66 anos, era a única candidata ao cargo e beneficiou de uma mudança nos estatutos do FMI relativa ao limite de idade, permitindo que a sua candidatura fosse válida.

O seu mandato no FMI terá uma duração de cinco anos e começa em 1 de outubro.