Os acionistas da Mota-Engil aprovaram hoje, em assembleia-geral, a distribuição de um dividendo de 13 cêntimos por ação, anunciou a construtora.

Em comunicado, a Mota-Engil refere que na reunião magna estiveram representantes de 75,95% do capital social da empresa, “tendo todos os pontos sido aprovados por votações favoráveis superiores a 90% dos votos representativos” e por unanimidade os pontos relativos à apreciação do Relatório e Contas do exercício de 2016, à proposta de aplicação de Resultados e ao relatório sobre as práticas de Governo Societário.

A proposta de aplicação de resultados contempla o pagamento de um dividendo equivalente a 0,13 euros por ação.

O lucro da Mota-Engil mais do que duplicou em 2016, para 50 milhões de euros, face aos 19 milhões de euros de 2015, tendo beneficiado do impacto positivo da venda de ativos.

Em 2016, o volume de negócios da Mota-Engil recuou 9%, para 2.212 milhões de euros, penalizado pelo “impacto negativo do negócio da construção e engenharia na Europa e em África” e pelos efeitos cambiais “sobretudo na América Latina”.

No exercício passado, o EBITDA (resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) recuou também 9%, para 334 milhões de euros, e a margem EBITDA situou-se nos 15%, “refletindo a forte rentabilidade quer na Europa, quer em África”.