Durão Barroso foi apontado como um dos nomes para suceder a Dominique Strauss-Kahn na liderança do FMI, mas a Comissão Europeia já veio dizer que isso é «um rumor sem fundamento».

À TVI, a porta-voz do gabinete do presidente da Comissão Europeia, assegurou que Durão Barroso pretende levar o mandato em Bruxelas até ao fim.

Foi o correspondente da CNN em Bruxelas que apontou esta quinta-feira o nome de Barroso como um dos potenciais candidatos ao lugar agora deixado vago por Strauss-Kahn, precisamente um dia depois de ter entrevistado o ex-primeiro-ministro português.

Nesse encontro, Durão Barroso admitiu que gostaria que o FMI continuasse a ser chefiado por um europeu. E Bruxelas vai mesmo tentar encontrar um nome consensual para o novo senhor FMI.

É também isso que defendem Angela Merkel e a ministra das Finanças francesa, Christine Lagarde.

E já há um candidato na corrida pelo lugar de Strauss-Kahn, mas não é do núcleo europeu.

Sobre o cenário de Durão Barroso poder vir a integrar o FMI, o Governo português não quis fazer comentários.



[Notícia actualizada às 14h40 com mais informações]
Redação / Pedro Moreira, TVI, em Bruxelas