Os preços da gasolina e do gasóleo voltaram a subir esta semana, quando comparamos os valores desta sexta-feira com o dia 8 de maio, a sexta-feira passada.

No caso da gasolina o preço de venda ao público (PVP) é, em média, dois cêntimos mais caro, para 1,317 euros por litro esta sexta-feira, segundo os dados da Entidade Nacional para o Setor Energético (Ense).

Já o PVP do gasóleo, ficou praticamente inalterado por litro, ao subir de 1,167 euros na passada sexta-feira, dia 8, para 1,174 euros, em média, hoje.

Mesmo assim, continua a ser possível pagar o litro de gasóleo por menos de 1 cêntimos. Ficam aqui os dados dos postos de combustíveis com os valores mais baratos, no Continente, no final de quarta-feira, disponibilizados no site da Direção Geral de Energia e Geologia, segundo os dados fornecidos pelos comercializadores. Se tiver na zona, pode ser útil.

Gasolina(s)   Gasóleo(s)  
Intermarché Valença 1.118€ Distrigandara - Supermercados 0.980€
Intermarché Castelo Branco 1.119€ Intermarché Marinha Grande 0.981€
Intermarché Melgaço 1.119€ Intermarché Pombal 0.984€
Auchan Castelo Branco 1.119€ Intermarché Belmonte 0.989€
Auchan Aveiro 1.119€ Intermarché Ovar 0.995€

Já se andarmos para trás nos dados da Ense, até ao dia 20 de março, início do estado de emergência, constatamos que o PVP da gasolina caiu 6,3 cêntimos, com o valor mais baixo a ser alcançado a 4 de maio nos 1,285 euros por litro. E no caso do gasóleo a descida do PVP é de 8,5 cêntimos por litro, com os 1,165 euros, o valor mais baixo, a ser atingido a 11 de maio, já após o fiz do estado de emergência.

Se olharmos só ao estado de emergência a quebra no PVP da gasolina e também do gasóleo é de 8,6 cêntimos por litro.

Os preços para o consumidor final mudam às 00:00 todas as segundas-feira, entre os valores que os compõem é necessário contar com o preço da matéria-prima, petróleo, nos mercados internacionais que esta manhã em Londres, para entrega futura, negoceia nos 32 dólares por barril de Brent - que serve de referência às importações portuguesas.

O petróleo está a caminhar para a terceira semana de ganhos a dar sinais de que o mercado se está a reequilibrar lentamente, à medida que os principais produtores cortam a oferta e o consumo recupera após um colapso histórico devido ao coronavírus.

Veja também: Preço do petróleo negativo: não se entusiasme, vai continuar a pagar na bomba

Alda Martins