Não param de se suceder as entidades e pessoas que tentam tirar vantagens da situação financeira frágil de muitas famílias, em tempo de pandemia. As fórmulas de fraude e burla a consumidores, contribuintes, clientes bancários são variadas e os alertas têm chegados de todos as entidades e autoridades. 

O Banco de Portugal (BdP), não tem tido mãos a medir com a quantidade de alertas que faz sobre as entidades que não habilitadas para conceder crédito, converter créditos, reestruturar dívidas e por aí fora.

Esta sexta-feira a instituição liderada por Carlos Costa, volta aos avisos. Agora sobre a entidade "António Augusto Marques Pinto da Rocha" que afirma, em comunicado, não estar habilitada a conceder crédito. 

Adverte a instituição que "António Augusto Marques Pinto da Rocha, com o número de identificação fiscal 110571746, atuando por si só ou recorrendo a terceiros, não se encontra habilitado a exercer, em Portugal"

Uma atividade reservada às instituições sujeitas à supervisão do Banco de Portugal, nomeadamente, a concessão, intermediação e consultoria de crédito. 

Neste alerta, a instituição liderada por Carlos Costa, deixa ainda a nota de que as listas das entidades autorizadas a conceder crédito, a atuar como intermediários de crédito e a prestar serviços de consultoria relativamente a contratos de crédito podem ser consultadas no site do Banco de Portugal, e no Portal do Cliente Bancário.

VEJA TAMBÉM:

/ ALM