As queixas de consumidores burlados através da aplicação MB Way dispararam mais de 150%. Os dados são do Portal da Queixa. A SIBS está preocupada e resolveu empreender uma campanha de sensibilização para proteger utilizadores e potenciais.

O Portal da Queixa verificou “um aumento significativo do número de reclamações referentes a burlas feitas através do sistema de pagamento MB Way - que permite fazer transferências instantâneas de dinheiro entre números de telemóvel associados à app, gerar cartões virtuais e usar o MULTIBANCO sem ter de usar cartão bancário”, diz um comunicado.

A diretora de Marca e Comunicação da SIBS, Maria Antónia Saldanha, esteve na Economia 24 e deixou alguns alertas.

Para começar, fique a saber que muitos dos problemas surgem quando os potenciais utilizadores tentam aderir ou não sabem, porque estão a ser burlados, que estão a ser induzidos a aderir ao MB Way.

Por exemplo, alguém que tem um bem à venda num portal e recebe uma chamada de um potencial comprador que se oferece para pagar o produto com MB Way e depois induz a potencial vitima a aderir à plataforma.

O burlão consegue levara a vítima até ao Multibanco e dá-lhe dois códigos. Um de 9 dígitos e outro de 6. O que está a fazer é dar-lhe um número de telemóvel e um PIN para usar o serviço, via o seu cartão que, entretanto, colocou na máquina. Ou seja, fica com total acesso à conta bancária da vitima.

Ora veja o quadro:

Se a pessoa seguir os alertas não falará o que o burlão pretende porque qualquer número de nove dígitos é um número de telemóvel que dá acesso à conta. O telemóvel é o acesso à conta bancária. Seria a mesma coisa que dar o cartão multibanco a um desconhecido. Nunca adira ao MB Way com um número de telemóvel que não é seu ou que desconhece.

Se mesmo assim, introduzir esse número terá uma segunda hipótese e aviso, no quadro seguinte:

Ao aperceber-se que o número que estava a introduzir não é o seu, cancele a operação e desligue a chamada que está a ter com o burlão, não será com certeza um comprador legitimo.

O que deve fazer a seguir?

Informe as autoridades. Está a ajuda-nos a todos. Estes fenómenos, de burla com serviços fidedignos e sérios, como é o caso do MB Way, são cíclicos e acontecem quando os serviços são muito conhecidos e famosos. Já temos mais de dois milhões de utilizadores.

Há pessoas de todas as faixas etárias a caírem neste esquema?

Sim. Temos conhecimento de queixas, que são reportadas aos bancos e às autoridades, de pessoas com vários perfis e algumas até com alguma sofisticação na utilização de serviços financeiros, mas que são enganadas porque estão de boa fé e a pessoa, do lado de lá, lhes diz que vai pagar por MB Way.

Todos os serviços prestados pela plataforma são seguros. Quer deixar mais algum alerta aos consumidores?

O serviço MB Way é a utilização do nosso cartão multibanco no telemóvel. Como não damos o cartão físico a alguém também temos que proteger o nosso serviço MB Way:

- se um desconhecido o convencer a ir ao multibanco fazer alguma operação, não vá, suspeite

- se alguém pedir uma identificação do seu MB Way, não dê

- se receber um pedido de transferência através do MB Way de alguém que não conhece, não aceite e cancele

Em 2019, as 102 queixas registadas pelo Portal da Queixa, traduziram um aumento de 75%, face ao período homólogo (41 queixas em 2018). Em 2020, a maior rede social de consumidores de Portugal já recebeu 86 reclamações, ou seja, em apenas um mês, verifica-se quase o total de queixas recebidas em 2019, registando um aumento de 169% face ao período homólogo.

Alda Martins