Os bancos portugueses emprestaram 831 milhões de euros em abril para a compra de casa, acima dos 803 milhões de euros de abril de 2019, mas o montante mensal mais abaixo desde agosto, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Este abrandamento no novo crédito concedido à habitação em abril acontece após no primeiro trimestre do ano o montante emprestado para a compra de casa ter atingido o valor máximo para um primeiro trimestre desde a crise financeira de 2008.

No acumulado dos quatro primeiros meses de 2020, a atribuição de crédito para a compra de casa somou os 3.679 milhões de euros, mais 16,72% do que os 3.152 milhões de euros do período homólogo do ano passado.

Segundo os dados do BdP, no crédito o consumo foram concedidos em abril 177 milhões de euros, uma quebra abrupta face aos 421 milhões de euros de março e aos 364 milhões de euros de abril de 2019, sendo preciso recuar até janeiro de 2014 para obter um valor mais baixo (169 milhões de euros).

Já nos empréstimos às famílias com outros fins, o valor concedido em abril ficou-se também pelos 131 milhões de euros, muito aquém dos 240 milhões verificados no mês anterior e abaixo dos 159 milhões registados em abril do ano passado.

No que se refere ao crédito concedido às empresas, também recuou em abril, para 2.701 milhões de euros, face aos 2.877 milhões de euros de março, ficando ainda assim acima dos 2.373 milhões de euros de abril de 2019.

Em março, a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras diminuiu dois pontos base face a março, para 2,08%, atingindo um novo mínimo histórico pelo segundo mês consecutivo.

A taxa de juro das operações acima de um milhão de euros foi de 1,81% (1,68% em março) e a das operações abaixo de um milhão de euros de 2,29% (2,42% em março), tendo o diferencial entre as duas taxas decrescido face ao mês anterior, atingindo o valor mais baixo desde dezembro de 2018.

Nas novas operações de crédito a particulares para habitação, a taxa de juro média subiu um ponto base para 1,03%.

Nos empréstimos ao consumo, a taxa de juro média atingiu um novo mínimo histórico de 5,76%, enquanto nos empréstimos para outros fins se fixou em 3,26%. Em março, estes valores foram de 6,67% e 3,67%, respetivamente.

/ Publicada por ALM