A menos de um mês do Natal e com mais uma Black Friday à porta e um Cyber Monday já na segunda-feira, a Deco relembra os cuidados a ter, seja nas compras em lojas físicas e online para que não "perca a cabeça" ou seja enganado.

A ferramenta Comparar Preços ajuda a perceber se os descontos anunciados são boas oportunidades de compra. Esta ferramenta de pesquisa regista a evolução dos preços dos produtos nas lojas online ao longo dos últimos dias, para aconselhar ou não a sua compra.

Mas pode ainda fazer esse trabalho hoje, antes da Black Friday, se sabe exatamente o artigo que quer comprar.

Esta é apenas uma ferramenta disponibilizada pela Deco/ Proteste. A Associação de Defesa do Consumidor, emitiu já esta semana um comunicado com os alertas habituais e o jurista, Tito Rodrigues, estará este quinta-feira na Economia 24 a falar do tema.

No site da Associação há várias respostas a dúvidas que podem ser a sua que reproduzimos de seguida. Se tiver mais alguma pergunta fazê-la por email para economia24@tvi.pt

1 - Preparar, pesquisar preços e recolher informação

Se souber com antecedência que produtos estarão em promoção, será mais fácil confirmar se são boas oportunidades. Procure obter este tipo de informação assinando as newsletters das lojas que mais lhe interessam, ou seguindo-os com mais atenção nas redes sociais. Para as lojas online faça o mesmo.

Alguns vendedores propõem-se a igualar os preços mais baixos do mercado caso os consumidores lhes apresentem provas da prática de preços mais baixos, nos mesmos produtos, por outras lojas. Verifique se alguma loja anuncia este tipo de campanha, pois poderá permitir-lhe fazer boa parte das compras num só lugar.

Caso planeie comprar em lojas online, registe-se como utilizador antes da Black Friday. Ainda vai a tempo. A grande afluência a estes websites em dias de promoções pode dificultar o processo de compra, tornando-o mais lento.

Também é útil listar os retalhistas que vendem os produtos que lhe interessam a bons preços. Assim, se um website falhar ou uma loja esgotar o stock, poderá recorrer ao seguinte da lista.

2 - Verificar a qualidade dos produtos

Os produtos em promoção podem prometer muito e cumprir pouco. Informe-se e leia sobre aqueles que lhe interessam, pois podem não corresponder ao que espera deles.

3 - Começar cedo

As melhores ofertas são, por norma, as que se esgotam mais cedo. Se pretende comprar numa loja física, averigue o horário de abertura e a sua disponibilidade para a visitar nas primeiras horas do dia. Se for comprar online, bastará esperar que chegue a meia-noite.

4 - Conhecer as políticas de compra e devolução

Algumas lojas permitem comprar online e fazer o levantamento dos produtos numa loja física, dentro de um prazo determinado.

Não se esqueça que se a compra for feita online tem o direito de devolver o produto no prazo de 14 dias. O mesmo não acontece se comprar numa loja física, onde o comerciante não está obrigado a receber devoluções (exceto em caso de defeito, por exemplo). Neste cenário, verifique se a loja aceita devoluções e em que condições, e ainda se existem regras especiais para a devolução de produtos nos períodos de promoções.

5 - Ser cauteloso

É muito fácil criar contas em redes sociais para publicitar lojas fictícias ou vender produtos contrafeitos e pirateados. Tenha cuidado com as ofertas que parecem demasiado boas.

6 - Garantias dos produtos

Em Portugal, os bens móveis têm uma garantia de 2 anos, quer sejam comprados em lojas físicas ou online. Para fazer valer este direito, deve guardar sempre o comprovativo de compra durante esse período.

Se depois de comprar um equipamento, verificar que este tem um defeito que não seja causado por má utilização, dirija-se ao vendedor e apresente o recibo de venda. Tem dois meses para o fazer após a deteção do problema.

7 - Direitos nas compras online

As compras feitas em lojas online são designadas “vendas à distância”. Estes websites devem conter informação clara e completa sobre, por exemplo, as características dos bens, o preço total ou a indicação que podem ser devidos encargos suplementares de transporte. Para saber se está a comprar numa loja de confiança use a nossa ferramenta sobre lojas online.

O vendedor é responsável pelo envio e entrega dos bens adquiridos online. Caso a sua encomenda não seja entregue, desapareça ou seja furtada antes de chegar a si, cabe ao vendedor assumir os encargos.

8 - Casos em que não pode reclamar

Se adquirir um produto com conhecimento prévio de um defeito, não tem o direito de o devolver ou de pedir a reparação da falha. Poderá ser melhor não fazer essa compra ou, em alternativa, tentar obter um desconto maior. Se o defeito for provocado por má utilização do comprador, este perde igualmente o direito de devolução. Porém, para negar a resolução do problema, o vendedor é obrigado a provar que este não se deve a um defeito de origem do equipamento.

Caso o vendedor alegue o mau uso do equipamento sem elaborar um relatório técnico que o fundamente, é aconselhável apresentar reclamação por escrito no livro de reclamações da loja, ou através de carta registada com aviso de receção. Guarde cópia da mesma e dos registos de envio.

Veja também: Movimento contra consumismo da Black Friday chega a Portugal