António Tomás Correia venceu, nesta sexta-feira, as eleições da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG), à frente da lista A, com 43,2% dos votos, perdendo a maioria.

A lista C de António Godinho ficou em segundo lugar, com 36,3% dos votos, e a lista B de Ribeiro Mendes, que é administrador da mutualista, em terceiro, com 20,5% dos votos.

Desta vez os cerca de 460 mil associados da mutualista com direito a voto puderam escolher entre três listas.

Estas eleições destinavam-se a escolher os dirigentes para os órgãos sociais da AMMG para o triénio 2019/2022.

Veja também:

Nos últimos anos, o Banco de Portugal impôs uma maior separação na gestão do banco e da associação mutualista, que entre 2008 e 2015 foi acumulada por António Tomás Correia, tendo vindo também a defender uma melhor diferenciação entre as duas entidades.

Em 2015, precisamente por imposição do regulador bancário, o sistema mudou, ficando Tomás Correia à frente da mutualista e passando o banco a ter uma gestão autónoma, com Carlos Tavares a assumir a presidência da Caixa Económica Montepio Geral, que irá ficar com uma nova designação comercial até final do ano, embora estatutariamente mantenha o nome.

Fundado em 1840 por um grupo de funcionários públicos liderados pelo professor e funcionário da Contadoria da Junta do Crédito Público Francisco Álvares Botelho, o então “Monte Pio dos Empregados Públicos” pretendia colmatar, através do apoio mútuo, a ausência de um quadro público de apoio social em Portugal.