A EDP Renováveis aumentou em 14% a produção de eletricidade em 2016 face ao ano anterior, num total de 24,5 Terawatts-hora (TWh), divulgou a empresa liderada por Manso Neto, num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

O aumento da produção beneficia “das adições de capacidade ao longo do ano assim como do superior fator de utilização”, que aumentou 30% em 2016 (face aos 29% em 2015).

Em 2016, as operações da EDP Renováveis na Europa e na América do Norte geraram 46% e 51% do total da produção, respetivamente.

Europa

A geração aumentou 12% em 2016, face ao ano anterior, para 11,2 TWh, dada a consolidação da Eneop e o aumento de 2% da produção em Espanha e de 1% no resto da Europa. Foram instalados 72 megawatts no Velho Continente - 44 MW em Itália, 24 MW em França e 4 MW em Portugal.

Quanto ao fator de utilização, na Europa atingiu os 26%, “no seguimento do superior recurso eólico em Portugal”. No país, o fator de utilização foi de 28%, superior ao verificado em 2015, “refletindo um recurso eólico acima da média”, refere a nota ao mercado.

América do Norte

A geração aumentou 13% no ano passado face a 2015, totalizando 12,6 TWh, “espelhando as adições de capacidade e beneficiando do superior recurso eólico” nos primeiros nove meses de 2016. Ali, foram instalados 629 MW.

Brasil

A produção aumentou para 666 gigawatts hora (GWh). Foram instalados 120 MW e completado o parque eólico de 120 MW Baixa do Feijão.

A empresa completou três parques eólicos nos Estados Unidos – Hidalgo (250 MW; Texas), Timber Road III (101 MW; Ohio) e Jericho (78 MW; New York) -, e no México foi concluído o parque eólico de 200 MW de Coahuila, o primeiro projeto da EDP Renováveis no país.

Relativamente à capacidade instalada ao longo do ano, em dezembro de 2016 a EDP Renováveis geria um portefólio de 10,4 GW em 11 países, dos quais 5,2 GW na Europa, 5,0 GW na América do Norte e os restantes 0,2 GW no Brasil.