O consumo de eletricidade em Portugal atingiu 169 Gigawatt-hora (GWh) na quinta-feira. É o valor mais elevado desde janeiro de 2011, de acordo com dados da REN - Redes Energéticas Nacionais.

Este pico de consumo de eletricidade resulta do tempo frio, que deixou todos os distritos de Portugal continental sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, na quinta-feira.

De acordo com os dados da REN, o consumo elétrico foi abastecido com 46% de energias renováveis, 22% de carvão e 26% de gás natural em centrais de ciclo combinado.

Na quinta-feira foi também alcançado um máximo histórico no consumo de gás natural, de 252,4 GWh, sendo que o valor do mercado elétrico atingiu 103,2 GWh e o valor do mercado convencional 149,2 GWh.

A capacidade horária do gasoduto esteve perto seu limite, repetidamente, nos últimos dias", de acordo com a REN.

O terminal de gás natural de Sines atingiu, no passado dia 12 de janeiro, o máximo da sua capacidade de injeção física no gasoduto de transporte. Isto refletiu o aumento do consumo em Portugal que resultou da vaga de frio que assola o país e das necessidades de produção de eletricidade.

Corrida aos aquecedores

As lojas de eletrodomésticos estão a registar aumentos de cerca de 100% nas vendas de aparelhos de climatização neste início frio de janeiro, segundo apurou a Agência Lusa.

A Worten confirma um acréscimo significativo na procura de equipamentos de climatização nas últimas semanas”, disse à Lusa fonte ligada à empresa, associando o acréscimo “às baixas temperaturas que se fazem sentir”.

Entre 26 de dezembro do ano passado e os primeiros 15 dias de janeiro houve um acréscimo nas vendas na ordem dos 90% face a igual período do ano passado. Ou seja, venderam-se mais de 30 mil unidades de equipamentos de climatização.

Os aquecedores elétricos continuam a ser os [aparelhos] mais procurados, seguindo-se os irradiadores a óleo. Nas últimas três semanas, a venda de aquecedores elétricos praticamente duplicou”, adiantou a mesma fonte.

Também os hipermercados Jumbo tiveram um crescimento superior a 100 por cento no mês de janeiro nas vendas de aparelhos de climatização, nomeadamente aquecedores a óleo e termoventiladores.

De acordo com fonte da empresa, idêntico crescimento está a ser notado na venda de outros produtos como lareiras, lenhas, pellets e outros.